Você está aqui:Início » Sem categoria » É adepto da poligamia ou poliamor? Conheça a nova moda!

É adepto da poligamia ou poliamor? Conheça a nova moda!

poligamia e poliamor

Já ouviu falar de poligamia? E poliamor? É adepto deste novo tipo de relações?
Aqui o amor é partilhado e as responsabilidades são diminuídas.
Veja como tudo funciona!

Poligamia ou poliamor?

O que é a poligamia? Proibida em Portugal, este género de relação aberta mas com amor, a poligamia acontece quando um homem tem mais do que uma esposa. Se for a mulher a ter mais do que um marido, então a denominação correta passa a ser: poliandria. Neste tipo de relações reina a partilha tanto do amor, como das responsabilidades.
Enquanto que em alguns países a poligamia é legalmente aceite e até bem vista socialmente, em Portugal isso não acontece e é aí que surge o “poliamor”! Com o mesmo significado, mas sem o casamento, este tipo de relação envolve um homem que tem várias mulheres, e que podem ou não, viver todos na mesma casa. Este poliamor também se aplica às mulheres que podem ter vários parceiros.
Esta é uma relação onde o amor é livre e não se trata apenas de relações sexuais. Aqui existe de facto amor ou um afeto por todas as pessoas envolvidas.
Claro que este tipo de relação também se aplica aos homossexuais, onde um homem pode ter todos os parceiros que desejar, ou uma mulher lésbica ter várias companheiras.
Ao contrário da infidelidade, aqui pode ter vários homens e todos eles sabem, e aceitam, a existência dos outros companheiros.

Vantagens e desvantagens

À primeira vista esta relação pode parecer a relação perfeita. Amor para partilhar, relações com vários homens e ciúmes inexistentes. É certo que esta nova moda do poliamor tem as suas vantagens, mas também terá desvantagens.
Fique a conhecê-las!

Vantagens

  • Sem monotonia – Se há coisa que este tipo de relação não tem é monotonia. Com vários companheiros não se conseguirá “cansar” da sua relação.
  • Várias experiências sexuais – A poligamia não se trata apenas de mais sexo, mas sim de mais amor. No entanto, a verdade é que acaba mesmo por ter mais experiências sexuais.
  • Sem mentiras – Não tem que mentir quando quiser estar com outro homem, não precisa de ser infiel, basta apresentar o seu novo companheiro.
  • Sem obrigações – Estas relações não são tão rígidas como uma relação convencional, uma vez que o amor é repartido. É comum terminar com um companheiro sem que isso seja algo de muito grave, até porque esse companheiro provavelmente terá outros.

Desvantagens

  • Difícil gestão – Vamos confessar que não é fácil gerir mais do que uma relação! Dependendo do número de companheiros e encontros quentes que tenha, pode ser difícil conseguir dar a atenção necessária a todos. Lembre-se que são relações onde existe amor e não apenas sexo.
  • Ciúmes – No poliamor não pode existir ciúmes, é a base deste tipo de relação. No entanto, os ciúmes nem sempre são fáceis de evitar, principalmente quando sabe que o seu companheiro está com outros homens.
  • Não aceite pela sociedade – Se os gays começam agora a ser aceites pela sociedade pouco a pouco, a poligamia está longe de vir a ser aceite algum dia, pelo menos em Portugal.

Comentários (3)

  • Andreia

    Relações abertas, ou poliamor, ou que quiserem chamar, sempre existiram, mas com maior secretismo do que nos dias de hoje, não porque passou a ser aceite, mas porque há muita curiosidade pela “diferença”. Eu, o meu marido e outro casal, temos uma relação, há mais de dois anos, em que ambos temos duas filhotas pequenas, que se dão literalmente como irmãs… Passamos o tempo todo possivel juntos, e só não vivemos juntos, porque a gestão a nivel interpessoal com os demais familiares seria demasidado contorbada. Então resguardamo-nos no nosso mundo, naquilo que consideramos o nosso lar, porque quando estamos juntos funcionamos como uma familia, e é isso que somos, uma familia de 6 pessoas. Nem tudo é perfeito, como em qualquer relação tida como “normal”, mas somos muito felizes com o que criamos à medida que o tempo passa. Cuidamos uns dos outros, preocupamo-nos, brincamos, amamo-nos…Cada vez mais percebo a “prisão” em que por vezes vivemos, por um preconceito criado pela sociedade desde há centenas de anos para cá! Nós recusamo-nos a aceitar o que um dia alguém disse ser o correcto. O que de mal pode existir quando se ama alguém? É isso que fazemos, amar, amar muito, cujo amor nos faz sentir priveligiados, porque sentimos ter sorte por darmos e recebermos tanto amor. Que mal pode isto ter? Um sentimento tão puro e genuino? Nenhum! Aceito todas as formas de amor sem julgar, mantendo a esperança de que um dia, mais lá para a frente, nada seja olhado com preconceito, mas sim com naturalidade e sem julgamentos. Sejam felizes!

    Responder
  • ATorres

    Casal (30 e 49) procuram um elemento para formar um relacionamento a 3. Completamente a 3 e para viver juntos. Alguém com mente aberta? Obrigado At

    Responder
    • DGonçalves

      Olá…eu tenho uma enorme fantasia de me juntar a uma casal…dar prazer aos 2! se ainda estiverem a procurar…estou disponivel para uma experiencia inicial. Sou um pouco timido mas tudo se resolve…

      Responder

Deixe um Comentário!

© 2018 Energizado com Wordpress

Ir para o Topo