Sexta, 15 Novembro 2019

Lisboa - Historias gays - Encontros Gay - Anúncios e Classificados Gays

publicar um anuncio grátis no pt gay

             

Comunidade Gay

Comunidade Gay de Encontros

Registe-se gratuitamente na nossa comunidade e aceda a todos os anúncios de encontros gay e aos perfis dos nossos membros.

Atenção: A nossa Comunidade Gay de Encontros é restrita a Homens que procuram outros Homens online.


Ao registar-se dispõe de um painel de administração pessoal onde pode adicionar e gerir número ilimitado de anúncios e interagir entre os vários membros da comunidade.

  • Crie o seu perfil personalizado (fotografias e dados)
  • Editar o seu perfil a qualquer momento, actualizando fotografias e dados
  • Inserção de número ilimitado de anúncios
  • Gestão total dos seus anúncios (poderá editar os seus anúncios sempre que desejar)
  • Ler e responder a e-mails de membros
  • Caixa de Mensagens
  • Lista de membros On-Line
  • Ligações entre membros
  • Envie mensagens privadas, e muito mais...

Faça parte da comunidade do PTGAY.NET

A nossa comunidade está a crescer! Membros da Comunidade de Encontros Gay

Encontros Gay VIP

Encontra outros homens que procuram encontros e procuram uma relação gay ...

Já não precisas de ficar sozinho. Encontra um parceiro através da nossa pesquisa avançada e começa a conhecer novas pessoas.

Procuras uma amizade, namorado, companheiro, encontro, ou uma relação séria, estás no síte certo! No PTGAY VIP facilmente encontras aquela pessoa que tanto procuras. Descobre as vantagens do PTGAY VIP:

  • Tecnologia Speedflirt
  • Chat e Webcam
  • Messenger software
  • Pesquisa detalhada
  • Plataforma inovadora

Regista-te gratuitamente e conhece os membros que já se encontram registados no PTGAY VIP.

Não percas mais tempo. Registo Grátis. Satisfação garantida!

 
 

Historias gays

Denuncie uma irregularidade neste anúncioDenuncie uma irregularidade neste anúncio

Referência (ID): 251
Eu fui passar a virada de ano na pousada do pai de uma grande amiga, como não foi fechado nenhum pocote com turista basicamente so estava a familia dela la.
No sabado ela me ligou avisando que eu poderiar ir pra ela que seria tudo free, e logico que adorei a ideia, ate mesmo pq faz um tempo ja que quero pegar a irmã dela que convenientemente tinha acabado de acabar um namoro. e tudo ficou ainda melhor quando ainda me ofereceu uma carona para ir com ele, o namorado e o irmão que tinha voltado a cidade para pegar algumas coisas que faltaram.
pois bem,fomos para a pousada, tudo na boa, a tarde no sabado sai para pescar com o irmã dela e o namordo, andamos de caiac, tamomos bainho de mar, e bebemos todas, mas nada da irmã dela me da bola, chegando na segundo, como eu tinha bebido um pouco alem da conta, resolvi voltar apenas na terça, mas varias pessoas iriam voltar por causa do trabalho, no fim das contas so ficaram, eu, ela, o namorado dela que vou chamar de Lucas, o seu pai e sua mãe. dormi um pouco no final da tarde e a noite ninguem conseguia dormir então ficamos conversando ate o sono chegar, o primeiro a subir pro quarto foram os pais dela, ficando apenas nois tres, conversamos por varias horas e sobre varios assuntos, e no meio da conversa que vim perceber como o namorado dela é gostosinho, ele é um pouco mais baixo que eu, deve ter por volta de 1,70m, branquinho, cabelo loirinho de topete, olhos cor de mel, corpo definido, lisinho, e pelo desenho da sunga com um pau na medida pra mim aheuheauahaeuhea, nem ela nem ele não sabem que sou bi, e tb nunca imaginei que algum dia poderia rolar alguma coisa entre mim e ele.
o tempo passou, o assunto acabou e bateu um pouco de sono em todos, eles subiram para o quarto, ela pro dela e ele pro dele, pois os pais dela não permitem que os dois durmão junto. e eu fiquei sosinho numa suite no terreo, pois queria dormir com ar condicionado, passou uns 15 mim, batem na minha porta, pensei que alguem tinha esquecido alguma coisa ou então avisar que horas sairiamos no dia seguinte, quando abri tomei ate um susto, era ele o lucas,falou , meio sem graça que esta ruim de dormi la no quato dele pois estava calor e o ventilador naum esta dando conta e perguntou se eu me incomodaria se ele dormisse la pra aproveitar o ar,eu disse que naum e que tudo bem, como o quarto tinha uma cama de casal e uma de solteiro, ele poderia ficar na de solteiro, pois eu ja estava na de casa, ele entrou e eu fechei a porta.
Ate esse momento ainda naum passava nada na minha cabeça, em relação a nois dois, ele deitou na cama de solteiro e eu continue na de casal sozinho, mas a cama de solteiro naum tinha sido forrada e estava no cochão cru, e ele so tinha trazido um lençol dele.

Continuei assistindo tv, e depois de um cinco minutos ele pergunta se pode vir pra cama de casal comigo pois a falta do lençol na cama tava pinicando ele, perguntou se eu naum me encomodava e disse que dormiria com a cabeça contraria a minha, eu concondei! ele veio e deitou ao me lado!

depois de umais um tempo assistindo tv, decidi dormir deliguei a tv, deixando o quarto em plena escuridão, foi quando lembrei que tinha um cara semi nu deitado do meu lado, me deu um tzão na hora, mas fiquei com medo de tomar a iniciativa e deposi ele sair falando de mim e ate mesmo perda a amizade na Fernanda.

tentei dormir de todas as formas, mas naum conseguia, nem consegui dormir, nem consegui que o meu pau dormisse tb, pois ele estava na posição de sentido. foi quando resolvi tentar uma estrategia, fingi que esta estava dormindo, para poder esbarra no pau dele, ate roncar eu ronquei, mas antes que eu podesse me aproveitar da situação ele se mecheu e encontou sua perna em mim, fiquei parado na hora e continuei fingindo que estava dormindo, mais um pouco ele se mecheu novamente e ele colou a perna em cima da minha, fiquei na duvida se ele tava dormindo mesmo ou estava tentando a mesma tecnica que eu.
o joelho dele estava na altura do meu saco, e tenteiroçar meu saco no seu joelho pra ver qual a sua reação, e ele se esquivou, então decidi, vira de costa, para ver se ele se aproximava novamente, foi dido e feito.
so que ele estava com a cabeça do lado contrario da minha, tipo posição de meia nove, mas continuei fingindo que estava dormindo, ele veio mais junto e encontou o pau duro na minha bunda sobre a cueca, nossa so de lembrar ja estou de pau duro, e eu focei a bonda um pouco pra traz e senti o pau dele pulsando atra de minha, nosssssa que tzão foi aquilo, e essa enrolação passou quase meia hora, e nem eu nem ele tinha coragem de tomar uma iniciativa, e nesse meio tempo me deu ontade de mijar, quando naum estava mais aguentando e levantei e fui ao banheiro
foi quando notei qe ele se assustou a notar que eu tava acordado, ao banheiro mas voltei pra cama na mesma posição no no mesmo, lugar, dai ele notou que eu estava afimentão virouse pra ficar de cabeça com cabeça comigo, dae ele me encoxou de verdade, eu como tambem ja tinha perdido a vergonha, abri minha bermuda, abaxei a ceuca e fique esfregando no pau dele por cima da sua cueca samba canção, mas acho que ele era inesperiente com homens, e ficou so no encoxamento mesmo.
eu ja estava querendo mais, baxei a cueca dele e peguei no pau dele, que parecia uma rocha de tão duro, vi que estava um pouco seco, cuspi na minha mão e passei na cabeça do pau dele e um pouco no meio da minha bunda e , coloquei o pau dele bem num meio comecei a pincelar no meio da minha bunda aquela pica deliciosa, quase mque eu colocava la dentro, e ele nesse momento naum disia nada nem contra nem a favor, quando me lembrei que estavmos sem camisinha e naum prosegui, mas tb naum iria ficar por isso mesmo.
virei pra frente delechei seu mamilos, fui decendo ate seu umbigo, dei uma mordidinha na sua barriga e naum resisti mais e abocanhei seu pau com uma gula voraz, engolia todo, emquanto beliscava seus mamilos de uma forma que le desse prazer, engolia seu pau todo de uma vez depois chupava apenas a cabeçona e fazia o maximo de pressão que eu conseguise com a boca, nessas horas ele ia ao delirio, e gemia gostoso, eu almentei o rito do boquete, e ele ficou ajundando fazendo moviemnto como se estivesse fudendo minha boca, ate que ele estremesseu um pouco empurrou o pau na minha gargante e gozou tudo la dentro senti dencendo e no final ainda limpou o restinho que tava sujo na cabeça do peu, na minha lingua pra eu poder sentir o delicioso gosto da sua porra. eu ainda dei uma lambidas no seu saco ate eu gozar e deposi nos vestioms e ele voltou pro seu quarto sem falar mais nada.

iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Eu tinha 13 anos quando o inesperado apareceu...
Sempre fui 1 cara tímido, sempre na minha, mais meu primo, um Hetero bem estrovertido, com seus 17 anos um gato sem por defeito algum, me seduzio em minha casa!
Num pleno dia de sábado, meus pais tinham viajado, dai eu me encotrava sozinho naqela imenssa casa... 13 anos apenas, nunca tinha ficado com ninguem, apesar da minha timidez e virgindade, mais no banheiro sempre gostei de usar meus dedos enormes, ( bom mais nunca é igual a um penis entrando na sua bunda), entrava eu, ali sem nada a fazer a não ser assistir TV.
Sem eu esperar a campainha da casa toca! sai a atender, e era ele, suado! vinha da cademia, nem sabia q eu tava sozinho, dai sem esperar, eu fui logo abrindo a porta e ele entrando.
Dirrepente ele sentou ao meu lado no sofá, e ficamos ali, e nada vinha em mente " um silêncio no ar", à não ser o som da televisão, logo ele pegou o controle e pôs em um canal pornô, eu comecei a rir, dizendo:
- Poxa se meus pais tivessem em casa jamais eu assistiria isso.
- E dai ele falou pô fica frio... mais, e um clima diferente começou a rolar... eu percebia um volume enorme em sua bermuda, sem falar nas provocações... em q ele apertava aqele mastro... poxa aquilo me sufocava.
Sem esperar ele puxou a minha mão em encontro seu pau, dai não perdi tempo, comeceu a bater uma nele, poxa acho q ele teria ums 21cm, enorme e bem vermelho... comecei a chupar aqela delicia de membro... poxa eu sentia ele vibrar em cada chupada em q eu dava, via a hora dele gozar, logo ele baixou minha bermuda e me deixou peladão, me pôs de 4 e começou a meter seus dedos no meu cu, poxa era muito bom, uma dor gostosa muito boa... em seguida empurrou seu penis eu gritava, pedia q pararce, mais ele não se conformava, queria cada vez mais... meu cu quase virgem, poxa foi uma experiencia dificil eu confeço, mais aos poucos fui acostumando, sem falar q consegui levar todo aqele penis enorme... e em seguida uma boa gozada na minha boca, foi muito bom...
Numca me esqeci daqele meu primo hetero!, os tempos passaram hoje tenho 21 anos, e ele ja se encontra casado... mais coisas rolaram, e em breve contarei pra vocês... aguardem.



iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii





Sou do interior de Campinas/SP. Tenho 18 anos.
Aconteceu que quando tinha treze anos, fui passar alguns dias na casa de minha avó, que morava em um bairro vizinho do meu. Lá além a minha avó morava três primos meus e minha tia. O meu primo mais velho Thiago (hoje com 21 anos) tinha 16 anos e era muito bagunceiro e tarado.
Na hora de dormir, minha avó disse que eu iria dormir no quarto do meu primo (pois lá havia beliche). Fomos dormir. Eu na cama de cima e ele na de baixo.
À noite morrendo de tesão por ele (pois havia visto ele tomar banho antes de se deitar) o chamei de viado, para o provocar!
Ele disse para eu ficar de 4 que mostraria o viado para mim. Eu sem jeito fiquei quieto. Estávamos assistindo TV e tempo depois voltei a chamá-lo de viado novamente. Ele me disse de novo para ficar de 4 e ele me mostraria o viado. Dessa vez não resisti e desci da cama e fiquei de 4.
Ele todo excitado saiu de sua cama e me arrancou as calças e cuecas. Virou-me de frente e tirou sua rola para fora e mandou eu chupa-lo. Não quis, mas ele tapou meu nariz obrigando-me a respirar pela boca. Foi quando ele meteu sua pica grossa grande e cabeçuda em minha boca e mandou ficar calado e chupar. Não pensei em nada e chupei gostoso.
Depois sentou na cama e mandou sentar em sua rola. Tentei, mas não entrava, então ele mandou brincar com sua rola até gozar. Enquanto isso ele falava: faz de conta que é um pirulito e chupa gostoso e diversas outras sacanagens...
Por fim ele gozou. Consegui beber só um pouco de porra. Depois ele disse: quem é o viado aqui? Fomos dormir.
Após algum tempo depois a mesma coisa se repitiu, mas novamente não consegui ser penetrado.
Morro de vontade de transar com homens!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiii





Olá, meu nome eh Fernando, isso q vou contar aconteceu quando eu tinha uns 15 ou 16 anos!
Meu primo (leandro) eh muito lindo e gostoso! vivíamos sempre juntos, saíamos, conversavamos, sempre juntos! ele ja tinha me dito q se sentia atraido por homens. na época, eu ñ havia reparado isso em mim nem nele. daí começamos a falar sobre gay e sexo. um certo dia, meus pais foram viajar e eu fiquei em casa com meu irmão gêmeo. meu irmão saiu p/ balada e fiquei sozinho. meu primo tava sozinho tbm, resolvi chama-lo p/ ficar comigo, p/ conversar, ja q somos muito amigos. ele veio. conversa vai, conversa vem, ele começou a me abraçar de uma hora pra outra. eu fiquei meio assustado mas sem,pre foi meu sonho transar com ele. ele me abraçou bem forte e disse p/ eu beija-lo no rosto. quando eu estava beijando, ele virou e beijei a boca. na hora me afastei, até q ele me disse:
"Pô fe, vc ainda ñ percebeu q eu quero q vc me dê uma boa chupada?"
Eu me assustei e falei:
"N, nauum"
Daí ele me deu um beijo tão gostoso, q me arrepiei todo e fiquei de pau duro e ele tbm! até que peguei coragem, e caí de boca, era muito grande, mas tentava colocar tudo na boca. fizemos um 69 muito gostoso por um tempão...mas naquela vez, só deu p/ ficar nisso, pois meu irmão ja estava p/ voltar! então nós gozamos muito, juntos! fomos tomar um banho juntos e nos beijamos a noite toda. ele me dizia:
"Vc ñ vai escapar de mim, ñ vai"
E eu dizia:
"Ñ vou! sou todo seu"
Eu acabei me apaixonando pelo meu primo desde então.
Bom, crescemos e continuamos amigos até hj. E claro, rola uma trepada toda semana.!!
Hoje eu tenho 18 anos e ele tem 20.

Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Essa história é real. Meu nome é Leandro, tenho 22 anos hoje. Mas vou contar, pra vocês, o que aconteceu comigo quando eu tinha apenas 17 anos. Eu sou branco, bonito (graças a minha família, que são pessoas bonitas também) e sempre gostei muito de cuidar do meu corpo também. Aos 15 anos, já frequentava a academia. Hoje sou gay, não assumido, mas bem resolvido.
Aos 13 anos, tive a minha primeira transa com mulher. Foi com uma vizinha. Nos beijamos e o meu pau ficou duro. Meti, meio com medo, sem saber exatamente o que eu estava fazendo. Foi a única e primeira vez com mulher. Aos 14 anos, comecei a reparar em homens. Nas pernas cabeludas que me excitavam, e já me masturbava pensando nos meninos do meu condomínio. Mas o inacreditável, era que eu achava impossível um dia, transar com outro homem. Achava que isso era super difícil, e que um dia, eu ia me casar, ter filhos, e esquecer toda essa história. E fiquei nessa "punheta" até os 17 anos, com o cuzinho virgem, piscando, doido pra ser enrabado.
Aos 17 anos, um dia antes do meu aniversário, prestes a completar a maior idade, eu fui visitar uns amigos dos meus pais, em Vargem Grande, um bairro próximo ao Recreio, no Rio de Janeiro. Eles tinham uma casa, quase um sítio e os meus pais me chamaram pra ir com eles. E eu fui. Chegando lá, era um churrasco, e experimentei cerveja pela primeira vez. E gostei tanto que comecei a beber escondido dos meus pais lá na festa, e eles só tinham permitido duas latinhas.
Eu já estava quase na quinta. Comecei a ficar meio bêbado, meio tonto e muito excitado. Acho que se um cavalo tivesse me dado mole lá, eu dava pra ele...hehehehehe! Zoação! Até que resolvi andar pela rua dos amigos dos meus pais. Eles deixaram, pois a Nancy, amiga da minha mãe, disse que a rua era tranquila. E eu fui andando por ali, devia ser umas 14 horas, mais ou menos.
Ao passar uns três quarteirões da casa da Nancy, eu encontrei um terreno baldio, com uma casa destruída e uns pivetes, ali, uns 8 mais ou menos, todos negros, rindo alto e zoando.
Fiquei morrendo de medo e resolvi voltar, quando um deles grita: "Ei, moleque, chega aí...". Eu gelei. Parei e de longe mesmo perguntei o que ele queria. Ele fez com a mão pra eu chegar perto deles. Eu comecei a tremer, muito e fui até eles. Lá, eles me empurraram no chão, e arrancaram a minha carteira do bolso.
O problema que além do dinheiro que eu tinha, eu guardava, na carteira, uma foto do jogador Renato Gaúcho, que eu tinha muito tesão, na minha carteira. Uma foto do Renato de sunga, onde eu batia altas punhetas olhando pra foto. E os moleques viram a foto. E começaram a me chamar de viadinho, bichinha, mulherzinha...e ao mesmo tempo, começaram a apertar os seus paus, que logo ficaram duros...eram oito negrinhos sujos, mas com enormes pirocas...
Um deles colocou o pau pra fora, e foi o aviso para os outros sete colocarem também. E eu ali, no chão, no meio deles, sem ação, morrendo de medo. Então eles começaram a roçar o pau deles na minha cara, batendo no meu rosto, e um deles, o menor, logo gozou, esporrando no canto direito do meu rosto, uma porra quente e rala. Eu tentei levantar e levei uma pisada do maior, que tinha o maior pau. Devia ter uns 20cm. Era grossa e muito, mas muito cabeçuda. Até que o menor saiu de perto, e eu fiquei com os sete meninos, me zoando e batendo com as pirocas na minha cara.
Até que eles começaram a arrancar a minha roupa, rasgando, jogando pro alto, me deixando nu. Um deles, mandou eu ficar de bruços. Tinha uma parte, de azulejo, naquele terreno, que era o menos sujo, e eu deitei de bruços ali. O maior, imediatamente, veio por trás, e a seco, sem camisinha, sem cuspe, sem nada, começou a forçar o pau cabeçudo no meu cuzinho virgem. Eu chorava de dor e medo. Muita dor. Até que foi escorregando e ele meteu tudo com muita força e começou a bombar com uma agilidade experiente para um moleque. E eu sofria ali, chorando muito. O negro ficou metendo uns 10 minutos, até que tirou o pau, chegou no meu rosto, bateu umas 20 punhetas e gozou na minha cara. No meu rosto veio sangue e porra, pois ele tinha sujado o pau de sangue, pois meu cú sangrou. E foi um atrás do outro, metendo no meu rabo. Só mais um gozou na minha cara, os outros quatro gozaram no meu rabo.
Depois disso, me chutaram, me bateram, me humilharam e mijaram em cima de mim. E sairam correndo do nada, quando ouviram uma kombi anunciando a promoção de um mercado local. E levaram as minhas roupas. Eu não conseguia levantar. Estava com muita dor, paralisado, ali no chão. Até que um homem, magro, com duas sacolas na mão, passou por perto e eu gritei. Ele veio e eu disse que tinha sido assaltado. Ele me ajudou a levantar, e foi me levando pra sua casa. Ao chegar lá, eu pedi pra tomar um banho, pois não queria chegar naquele estado para os meus pais, eles podiam ficar preocupados. O cara, muito gentil, deixou.
Tomei banho, me livrando daquela porra seca no meu rosto e tentando expelir do meu rabo, aqueles litros de porra que jorraram no meu cuzinho. Ele também me deu um short e uma camiseta. Quando eu estou saindo da casa dele, entra o negro maior. Ele me olha e fala no meu ouvido: "Se você falar pra alguém o que aconteceu, você é um viadinho morto.". Eu continuei seguindo, agradeci ao rapaz, e fui, mancando, até a casa dos amigos dos meus pais.
Chegando lá, foi um desespero. Minha mãe chorou muito quando eu contei que tinha sido assaltado. É claro que não contei que tinha sido enrabado pelos pivetes. Apenas contei que eles me bateram muito. Meu pai queria, junto com o marido da Nancy, ir tirar satisfação na rua, com os moradores, ver se pegavam os pivetes, mas eu pedi para que não fizessem isso.
Que eu queria ir embora. E fomos embora. Fiquei 1 semana, mais ou menos, de repouso, com dores no corpo todo, inclusive no cú. Depois de uma semana, eu já comecei a minha vida normal, ira na escola, e fazer as coisas. Só que aqueles 8 pivetes não saiam da minha cabeça. No lugar do medo, comecei a ficar com muito tesão.
Às vezes, me pegava de pau duro, pensando neles. Até que inventei para os meus pais, um trabalho na casa de um colega, e resolvi, ao sair da escola, ir para Vargem Grande, atrás daqueles negros....mas isso, já é outra história.

iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii


Oi, o meu nome é João, tenho 19 anos, sou bissexual, sou moreno, olhos castanhos, bem forte, 1m e 71 (baixo).
Minha história começou assim, eu sempre falei q amava mulher e tudo isso, mas a verdade estava escondida, e eu n ia ficar muito tempo sem contar.
Meu primo Marcelo,3 anos mais velho, na época tinha 17 anos e eu 14, ele era do tipo saradão, um deus, muito gato. Naquele tempo agente ia sempre pro clube, eu eu ficava reparando no volume da sunga dele, as vezes ele desfarsava q n via, mas numa dessas olhadas quando estavamos jogando vôlei, ele falou q ia no banheiro e perguntou se eu queria ir com ele, n demorei e disse q sim.
Quando entramos no banheiro, ele abaixou a sunga e deu um sorrizinho p mim, fiquei louco de tesão mas me controlei, depois eu estava de costas e ele veio por trás e enroscou o pau em mim, n aguentei, eu sempre entro em sites gays e nunca vi uma rola tão linda, 18 centímetros, não era tão grande, a cabeça toda rosinha, todo raspadinho, puxei aquela pica e enfiei na boca, na mesma hora ele gozou na minha boca, era tão quentinho, bem salgadinho, continuei a bater o boquete e ele gemendo, ele me levandou e me colocou numa bancada que tinha no fundo do banheiro, e acredite se quiser, aquele macho lindo, abaixou minha sunga e começou a sugar minha pica de 16 cm na época, n aguentei, gozei como nunca tinha gozado, ele engoliu toda e depois deitou em cima de mim me beijando, ele roçava em mim, ai eu pedi para que ele me comesse, na hora, ele me carregou, me colocou na parede e eu coloquei minhas pernas entrelaçadas em suas costas, senti muita dor, mais era uma dor muito gostosa, a sua pica tava muito quente, e meu cú tava piscando, eu beijava a sua boca como um louco, ele ia cada vez mais rápido, eu sentia mais tezao, ele gritava, eu gemia, ele disse que ia gozar logo logo, então eu pedi para ele esperar, era a minha vez, ele se ditou na bancada e eu meti no cu dele, era muito bom, avisei q iria gozar e ai nos levantamos, batemos um 69, e gozamos ao mesmo tempo, um na cara do outro.
Ficamos ali batendo mais um boquete, ai o meu tio nos achou.
Só eu o vi, Marcelo continuava a boquetar, alguns segundos depois ele viu também, meu tio, muito gostoso, estava na passagem do banheiro para o vestiário,ele veio andando calado, parou em nossa frente...
Ele meteu a mão dentro dasunga, e o tirou, a versão da do meu primo só que muito maior, media 21 cm, ele falou bem com a voz grossa:
-Chupem.
Meu tio é um cara lindo, grisalho, com um corpo legal, bem grande, e bem bonito.
Nós nem esperamos, nos levantamos e começamos o tabalho, estava mole ainda (o que eu amo), pica mole é uma delícia, ele me puxou pelo cabelo e falou para eu abrir a boca, eu o fiz, e n me arrependi, ele começou a mijar na minha boca, é mito bom, vc devia mijar na sua própria boca, é quente e bem salgado, eu engoli quase td,ai ele começou a meter na minha boca, e Marcelo começou a lamber o meu cu, sua lingua, era quente e eu estava louco, ele começou a me comer por traz e meu tio comia a minha boca, foi um dos melhores momentos da minha vida, a cada dia eu batia umas 5 punhetas e 2 para cada um eram certas, fudemos por meia hora, sempre parando para n gozar logo, depois os dois começara a se comer e eu batia bunheta e lamber o rabo de meu tio, era uma delicia, ele raspa os pelos do cú, era um gosto ótimo, depois ,eles se levantaram e começaram a se beijar com as picas encostadas balnçando, eu gozei na minha propria boca, ai comecei a chupar o pau dos sois de vez, ele gozaram quase um copo de gala, foi uma delícia.
Depois dessa nos fomos tomar banho todos juntos.
Agora sempre quando nos encontramos nos fudemos feito loucos.
Os homens que eu vou merrer fudendo com eles.
Nunca vou os esquecer.
Hoje meu tio tem 43 anos ,eu tenho 21, e meu primo 24.

iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iii



Sonhei que estava no futuro e pertencia a uma estranha religião na qual o gozo era sagrado. Eu estava muito excitado, pois era o dia do meu casamento. A cerimônia estava pronta e seria celebrada na Igreja do Gozo Sagrado...
Entrei na igreja de terno escuro, olhei ao redor e só havia homens no recinto, era uma cerimônia exclusiva para gays... No altar havia um caralho de bronze de cerca de 20 cm, ereto e abaixo dele uma enorme almofada em couro marrom, de forma cilíndrica, posicionada deitada, paralela ao altar. Fui conduzido até lá e fiquei esperando.
Pouco tempo depois começa a tocar uma deliciosa música, clássica, suave. Meu namorado entra na igreja vestido com um fraque branco, com um buquê de rosas vermelhas na mão. Foi aí que apareceu o padre, usando uma batina branca e dourada, entre mim e o altar. Meu namorado se aproximou, o padre veio até ele e pegou o buquê, colocando-o ao lado do altar. Foi aí que pude perceber que ambos tinham suas bundas à mostra... meu pau foi ficando duro, rasgando a calça.
O padre nos deu duas taças para beber a água sagrada. Após isso, eu e meu namorado nos beijamos com fúria. Eu mordiscava seus lábios, seu queixo e orelhas, nossas línguas se entrelaçavam e se sugavam. Os convidados se aproximaram e começaram a rasgar nossas roupas até ficarmos completamente nus. A multidão o pegou e ele foi colocado de bruços sobre a almofada marrom. O padre levantou a batina e, sentando-se sobre o caralho de bronze, até o talo, ordenou:
_Que comece o ato sagrado!
A visão da bundinha do meu namorado exposta daquele jeito me deixava ainda com mais tesão. Fui até ele e comecei a lamber e mordiscar, enfiando minha língua naquele buraco delicioso, fazendo-o gemer de prazer... minha língua ia fundo naquele cuzinho apertado, umedecendo suas entranhas e preparando aquele rabinho para receber algo maior, mais grosso, duro, quente, com a cabeça vermelha e veias saltadas de tesão...
O padre gemia com o caralho de bronze enterrado no cu, subia e descia, cavalgando num ritmo frenético. Foi então que posicionei a cabeça do meu pau na porta do cuzinho do meu namorado. Fui me deitando sobre ele enquanto meu cacete invadia seu rabo... devagar fui metendo tudo no seu cuzinho em brasa, fazendo gemer...
_Ai, amor... enfia tudo nesse que cuzinho que ele é só teu...
Que tesão!... Aquelas palavras, aquele rabo gostoso, molhadinho... meu pau tinha entrado até o fundo... meu saco roçava a porta do seu cuzinho... agarrei-o por trás, num abraço, e enquanto lambia sua orelha dizia: Eu te amo, meu tesão!!!...
Ele começou a rebolar no meu pau, seu cu, cada vez mais úmido, indicava que ele estava pronto para um gozo anal... fui tirando e metendo, tirando e metendo... meu pau invadia seu rabo em brasa, enquanto eu mordia sua nuca... cravava meu pau bem fundo naquele cuzinho... cuzinho gostoso, molhado e quente... meu pau roçava em suas pregas e tornava a entrar, até o fundo... seu cu se contraía em espasmos de puro gozo...
_Ai, gostooooooooooooooooso!!!!... Me fode, me arromba, vai...
Tirei tudo e, de uma vez enfiei até o talo... ele gemeu... contraiu o cu de prazer... fui tirando e metendo, agarrando-o por trás, lambendo sua orelha, seu queixo, beijando sua boca enquanto fodia seu rabo até o fundo do seu reto... tirava tudo e metia de uma só vez, fazendo-o gozar por trás... seu cu molhadinho se contraía e meu pau, duro como pedra, arrombava suas pregas... meti fundo, tirei quase tudo, e de um só golpe, meti até o talo, jorrando minha porra naquele cuzinho amado... agarrei-o firme e, em estocadas profundas, fui derramando meu leite naquele rabo em brasa... Ele gemia cada vez mais alto...
_Shhhhhhhhhhhhhhhhhhhh... Ahhhhhhhhhhhhhhhh... Uhuhuh... Ai, bem... Que gozo gostoso!!!...
Seu cu se contorcia em espasmos... ele estava gozando... pela frente e por trás... Beijei-o com gosto, com meu pau enterrado até o fundo do seu cu. Depois tirei devagar, virei-o de frente e enfiei de novo, devagarinho, enquanto nos agarrávamos e nos beijávamos. Meti ainda algum tempo naquele cuzinho gostoso, molhado de gozo e porra, minha porra...
Quando dei por mim, vi o padre, ainda com o caralho de bronze enterrado até o fundo do cu. Ele havia gozado e o sacristão espalhava sua porra pelo seu corpo. Finalmente ele disse:
_Pela porra sagrada, eu os declaro casados...
...E acordei... todo molhado...

iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii ii



Oi galera!
Prometi faz algum tempo que colocaria novo conto verídico aqui. Pra refrescar a memória de vocês, eu colaborei com o conto dividido em duas partes do "cunhadinho emprestado".
Pois bem, vamos ao conto.
Este se passou quando eu tinha 14 anos, 1,75m, acho que uns 70 kg, 15 cm e com os hormônios a mil.
Era um dia de muita alegria em casa, aqui em Porto Alegre - RS, porque meu mano mais velho estava vindo de férias do seu trabalho no quartel de Brasília. Felizmente fazia muuuuuuuuito frio. Entorno de uns 2 graus pelo entardecer. Ele chegaria lá pelas 23 horas no Aeroporto Salgado Filho. Meu irmão sempre gostou muito de mim, sempre me protegeu e me levou pra passear. Era uma espécie de melhor amigo e quase pai também. Na época, em 2002, ele tinha 30 anos.
Meus familiares estavam preparando um verdadeiro café colonial para recebê-lo, com muitas tortas, pães, cucas e chimías alemãs. Tudo que ele adorava. Aqui no Rio Grande do Sul chamamos xucramente o pão francês de "cacetinho". Não se espante! rsrsrsr Porquê? Porque o formato do pão é muito semelhante à um cacete mesmo.
Quando já chegava perto da hora do meu pai ir buscá-lo no Aeroporto, fazia 1 grau negativo. Estávamos tomando chimarrão quando eu pus a boca na bomba da cuia e chupei o mate, logo me vi chupando o pau do meu irmão. Ah, o nome dele é Luca. Enquanto eu ficava delirando lá com aquela cuia não vi que o tempo passava depressa, então, fui despertado dos meus devaneios com o barulho do carro chegando na frente de casa. Era meia noite passada e Luca havia chego. Foi aquela festa! Quando ele entrou em casa logo me viu e me abraçou dizendo com sotaque brasiliense: - E aê muleque? Beleza? Dá um abraço no seu mano véio!
Eu abracei ele e entaõ pude sentir aquele cheiro de suor sde macho que tinha dormido no calor. Sua roupa estava gelada, mas, como abracei por dentro do casaco que ele usava pude sentir seu corpo malhado e quentinho. Meu irmão estava bronzeado e com os cabelos pretos no estilinho militar. Luca tem 1,85m, devia pesar na época uns 80 kg, calça 42 e tem desde a adolescência 19x5 perfeitos centímetros de pau. Era um pouco peludo também.
Até as 3 da manhã o pessoal ficou conversando e rindo. Tomaram muito vinho... Hehehehe... O mano estava de pilequinho. Eu ia dormir com ele nun colchãozinho de viúva na sala. Era costume meu porque eu nunca dormia na minha cama, sempre na de alguém. E desta vez seria na dele.
O tempo passou até que aos poucos todo mundo foi indo dormir. Estava tão frio que mesmo dentro de casa saia vapor da nossa boca. Eu ajudei meu irmão a chegar até o colchão. Apaguei as luzes e liguei o aquecedorzinho de ar nos pés dele. Ele disse meio tonto e com a língua enrolada para ajudar ele a tirar aquela roupa toda. Eu, inocentemente fui. Tirei seu casaco, seus dois moletons, seu suéter de lã. Depois tirei seus sapatos e comecei a tirar sua calça. Ele estava com outra de algodão bem justinha por baixo. Eu notei aquele volume todo e imaginei como devia estar quente. Como seria chupar aquele cacete todo que eu só tinha visto no banho até hoje. Ele se apoiou em mim e entrou em baixo dos 6 cobertores. Estava tremendo. Logo eu entrei também só de camisetinha, cueca e meias... Ele se esforçou para não enrolar a língua e disse: - Deissa eus te abrassar q tah fhrio...
Então eu me virei de costas pra ele e senti aquele corpo todo quente me abraçando e asquelas pernas com as coxas de músculos definidos e peludas se enroscando em mim. Senti também aquele pau gostoso e aquelas boas grandes sendo depositadas encima da minha bunda. Estava tudo mole, mas, mesmo com o frio ainda era grande e quente. Por último, mas, não menos importante, seu hálito quente no meu cangote com auquela barbinha por fazer roçando na nuca.
Era o cenário perfeito para a maior foda da minha vida.
Ele dormiu..
Eu que estava meio sufocado com seu peso estava acordado e com o pau meio duro e melecadinho. Tentei me mexer para melhorar a posição porque ele estava me machucando já com tanta pressão encima do peito. Em vão. Fiquei tentando mas tudo que consegui foi esfegar a bunda no pau dele e ouvir um resmungo. Um instante de silêncio e logo senti um suspiro bem baixinho dele e senti suas pernas trançadas em mim apertando um pouco mais. Senti uma coisa me cutucando no em uma das nádegas. Era o pau dele. Estava meio duro e muito quente. Meu pau ficou duríssimo no memso intante. Ele foi mexendo o quadril até que chegou bem no meio da minha bunda e com o seu pau completamente duro e saindo pra fora da calça de algodão ficou friccionando em mim por cima da cueca. Eu estava me sentindo no paraíso. Tremia de nervoso e de frio, a pesar de já estar com calor. A pressão ficou maior começou a doer. Eu juntei força e o empurrei um pouco.
Ele ficou de barriga pra cima e ficou estalando a boca comoquem queria dizer alguma coisa. Estava bêbado e meio sonâmbulo. Era a minha chance. Não pensei duas veses e por baixo daqueles cobertores pesados segurei o pau dele. Ele soltou um gemidinho e disse algo parecido com Júlia... era o nome da gata dele na época, mas ele sempre vinha doido pra dar uma com ela porque passava o ano todo sem ver mulher no quartel. Seu pau estava latejando. Erstava meio lambuzadinho. Era grosso na base, com muitos pentelhos, um pouco mais fino no pescoço da glande. Ela era grossa e pontuda um pouco torta para o lado. Suas bolas estavam moles e quentes. Eram grandes como dois ovos de galinha!!! Eu mal podia me controlar! Precisava chupar aquele pau.
Enquento eu tentava decidir o que fazer, senti sua mão na minha cabeça me empurrando para seu pau. Eu obedeci. Cheguei lá e comecei a lamber suas bolas. Hmmmmm uma delícia... Com cheiro de macho, quente, peludas. Ele gemia baixo pois estava sem força. Até que eu engoli o seu cacete. Não foi difícil pois já tinha tido outras experiências, inclusive sexo. Fiquei lá, mamando aquela rola grande e gostosa. Até que depois que senti que ela estava bem molhada, decidi criar coragem e montar naquele mastro. Foi o que fiz.
Botei a "cabecinha" devagar, depoisfui sentando e abrindo o rabo o quanto podia. estava doendo mas eu aguentava. Foi quando a cabeça entrou. Como ela era grossa, senti como se tivesse aberto um gaurda-chuva no cu. Daí foi fácil, era respirar fundo, esquecer a dor e sentar. Sentei... sentei.. sentei... Não aguentava mais a dor, mas faltava pouco. Fiz um sobe e desce rapido pra acostumar mais o reto. Sentia minha prostata se espremendo. Até que sem querer escorreguei o joelho no lençól e sentei fundo, até o fim. chegou arder. Fechei meus olhos e não abri a boca por nada. pensei em desistir, mas, já estava ali, era só mandar ver. Ele respirava calmo como um bebê. Enquanto eu via estrelas.
Senti suas mãos na minha bunda. Ele arrebitou meu rabo e com uma das maãos pegou meu pau. Aí ele disse naquele jeito enrolado: - Caffalga!
E eu comecei a galopar naquela tora que latejava dentro de mim. Esqueci a dor. Ele gemia baixinho: - Ahh... Ah... Hmm
Afff..
Ele começou a bater uma punheta demorada pra mim ao memso tempo. Eu tremia de prazer. Apoiei as mãos naquele peito gostoso e musculoso. Sentia ele se contraindo. Podia sentir seu abdôme definido se contraindo em abixo das minhas bolas.
Ele começou a esticar e contrair as pernas. Estava suando na virilha e eu na bunda. Minha barriha começou a se contrair. Eu senti como se um turbilhão de porra fosse sair de mim. meu pau latejava enquanto ele me punheteava. Não aguentei e gozei. Gozei muito. Acho que uns 5 jatos. Tudo no peito dele que nem sentiu e continuo punheteando. Eu estava virando os olhos já. Até que ele começou a forçar seu apu como se quisesse fazer entrar mais. Seu peito se contorcia e sua barriga saltava os musculos pra fora. As coxas ficavam ultra duras e tremiam. Sabia que algo muito bom e dolorido estava chegando.
Cemorou alguns segundos mais e chegou.
Ele gozou.
Os tres primeiros jatos de porra eram tao fortes que pareciam mijo. Pensei que fosse me furar por dentro. Doeu pra caramba. os outros vieram bem quentes e mais mansos. Jorrava aquela gala quante dele pra fora do meu cu, escorrendo pelo seu saco. Ele gozava sem emitir som, ficava lá de boca aberta fazendo hmmm.. hmm...
Até que eu cansei e deitei no seu peito gostoso forte ainda encaixado nele. Depois de um tempo desmontei. Parecia que meus orgaos iam vir junto com o pau dele.
Nunca tinha visto tanta porra junta. Só podia fazer uma coisa: Chupar toda ela.
Comecei com o peito e cgupei toda a minha porra. Ele, que estava com a camiseta arregaçada até o pescoço apenas, pos seua braços fortes atras da nuca e ficou assim. Eu vi aquelas axilas de macho e dei uma cheirada. Hmmmmm .. um vheiro delicioso de homem suado. Um perfume bem leve do desodorante. Voltei ao que estava fazendo, cheuguei no apu ainda duro e comecei a chupar, tirei toda a porra depois de uns 5 minutos. Queria que ele gozasse na minha boca, peguei seu apu e comecei a punhetea-lo. Fiz isso ate que em breve ele começou a se tremer todo e eu rapidamente abocanhei o pau dele. Ele soltou um gemidinho e gozou num jato só. Eu mamei tudinho. Fui ao delírio.
Depois disso, me vesti e ajeitei a roupa dele. Ficamos com aquele cheiro de luxúria, mas, mesmo assim eu naõ me importei e dormi feliz da vida. Meu cu estava doendo muito mas, eu nao me importei.
No outro dia ele acordou e estav com tanta dor de cabeça que nem se ligou de nada.
Uma semana depois ele voltou pra Brasília e muitas vezes a gente se viu d enovo. mas, nunca mais aconteceu nada. Ele hoje esta casado e não lembra de nada. Meu mano Luca continua sendo amigo do peito, quase pai. Adoro ele.
Bem, galera, este é o final de mais uma história minha verídica. Hoje eu tenho quase 18 anos, quem quiser falar comigo é só pegar meu a-mail. Gatinhos de PoA e redondezas, principalmente Canoas que quiserem falar comigo, entre 17 e 19 anos.. Por favor!
Um abraço a todos, espero que tenham curtido.

iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Bom, é a primeira vez que relato uma expexiencia sexual minha em um site, e por isso ninguem me conhece. vou me apresentar:
Hércules, ruivo, 19, 1,78 m, 79 kg, corpo sarado de pele muito clara e um pauzão muito gosto de 18,5 cm.
Meu amigo: Íkaro, 20, 1,84 m, 86kg, pele morena clara, corpo muito musculoso, com peitoral bem definido, abdomem sarado, bunda musculosa, perna peluda e muito gostosa e um cacete de 20,3 cm que eu mesmo medi.
Nos conhecemos desde quando tinhamos 12 anos mais ou menos,e desde entao vimos um ao outro se desenvolver. Vi cada pelo do seu corpo crecer, e cada cm do seu pau aumentar. Sempre batinhamos punheta juntos, viamos filmes pornos juntos e até tomávamos banho juntos, maas nunca tinhamos tido relaçoes mais profundas, até que no meu aniversário de 18 anos tudo aconteceu. Acabou a festa e so ficou o Ikaro tesudao, que estava a pé, e então lhe ofereci carona no carro novinho que meu pai tinha acabado de me dar.
Ele topou. Entrou no Carro e tirou a camisa porque estava com muito calor. adorei. tirei a minha tambem. parece que ele tambem gostou. comecei a falar pra ele de como estavamos saradoes e gostosos, como nossos cacetes tinham crescido dos 12 aos 18 anos e ele começou a ficar excitado, e eu tambem. percebi q ele ja tava de pau duro, e quando fui trocar de marcha, ao invés de por a mao no cambio do carro, pus no dele. ele gemeu. senti seu pau crescer em minhas maos, e entao abri o velcro do short dele.
Nossa, ele estava sem cueca e imediatamente aquela vara gostosa saiu. estacionei o carro debaixo de uma a´rvore numa rua escura e cai de boca naquela maravilha. chupei e suguei suas bolas lambi seu cacete e o chupei muito. Ele metia em minha boca até quue gosou muito.
Depois de se recuperar, pediu pra q eu deixasse ele fazer tudo aquilo em mim tambem. nao exitei. chupou e marturbou a minha vara ate que gosei em seu peito. se lambusou com minha porra e aproveitou para a tirar o resto de sua roupa (o short). se masturbou um pouco e sento no meu colo. meu caralho entrou fácil. bombei em seu cusao ate gosar. depois foi a minha vez de ser enrrabado por aqueles deliciosos 20,3 cm de tesao, tudo aconteceu dentro do meu carro.
Depois dessa transamos frequentemente. adoro chupar aquelle moreno.
Esperam que tenham gosado muito gostoso com essa história.


iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiii


A algum tempo leio e frequento o site, já me masturbei muito pensado e lendo contos mas desta vez eu decidi experimentar...
Sou um carinha de 18 anos corpo atletico (pois pratico muito esporte) olhos castanhos claros, cabelos pretos nada afeminado nem afetado tenho 1,82 de altura...
Tenho um primo muito gostoso tem 1,77 sarado gostoso moreno medeio cabelos preto, olhos cor de mel, um verdadeiro deus grego dos meus sonhos...Sempre tive muito ciumes dele quando ele chegava na casa da minha tia com uma namorada ou alguma gatinha sempre fazia de tudo pra ver ele sozinho... O tempo foi se passando e a minha tração por ele foi aumentado...
Teve um certo dia que toda a minha familiua tinha saido pra fazer compras e eu tinha ficado em casa sozinho.... Foi ate que escuto o portão da garagem abrir e um carro entrar, olhei pela janela e era ele..... o meu primo.... resouvi desligar a televisão e meesconder pra que ele naum soubesse que eu estava em casa, ai ele entrou em casa pensando que naum tinha ninguem, entrou e deu uma volta dentro de casa me chamou chamou meus tios mais eu não respondi... ele entrou dentro do quarto tirou a camisa e a calça jeans eficou so de cueca branca eu escondido atras do sofa permaneci lá... ele foi ate a cozinha pegou uma cerveja pasou no quarto pegou alguma coisa e foi pra sala....
Ele sem me ver ligou o video a televisão e coplocou uma fita porno... e começou a bater naum deu pra ver bem se era gay ou bi o filme mais so com os gemidos me exitei.....ele batia freneticamente nesta horaja tinha me despido e ele so estava de meia branca..... foi ate que o telefone tocouy na outra sala de visita, ele parou o video e foi atender, eu aproveitei a oportunidade sai de tra do sofa e corri pra cozinha ele atendeu o telefone e volrou para sala e voltou a se punhetar.
Estava tão frenetico me punhetando e vendo o video que nem percebi que ele tinha se levantado e estava rindo e me olhando com um big de um pal de 23cm na mão......ai ....



iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiiii





Tenho 19 anos e meu primo 18, ambos com o pénis do mesmo tamanho da idade... O do meu primo um pouco mais grosso e o meu maior.
Tudo aconteceu um certo dia quando marcamos de assistir um filme aí. O filme foi indo e eu sentei no tapete par comer pipoca perto dele. De repente ele coça seu saco, eu me excitei de cara... Nunca imaginei que fosse capaz de me excitar por um homem. Mais sim. Eu perguntei par ele se podia pegar em seu pau ele disse que sim mas só se nos fossemos para o quarto dele. Ele me agarrou e começou a passar a mão no meu pau e eu no dele ainda por cima da cueca. Logo se via que todos nos estávamos gostando. Eu tirei minha cueca e ele a dele. Ficamos nos esfregando por um bom tempo até que ele se agachou e começou a chupar meu pau... Eu assustei porque ainda nunca tinha feito boquete com homens... Ele adorou e eu delirei. Tive que chupar aquele cacete também. Foi óptimo...
Fomos para o banheiro e ele começou a bater uma e rapidamente ele gozou e sujou todo o banheiro...
Eu nao estava mais me segurando,acho que mal começei a bater e gozei...
Foi muito bom.
Lisboa

Estou interessado/a em: Companheiro
Contato:

O ptgay.net não se responsabiliza pela exactidão e veracidade dos dados referentes aos anúncios anunciados. Comunique-nos as situações irregulares que detectar. Referência deste anúncio: 251 (não se esqueça de mencioná-lo sempre que nos enviar questões sobre este anúncio).

HOMENS DISPONÍVEIS PARA ENCONTRO

nopic

Voce não tem permissões para colocar comentários. Para enviar o seu comentário necessita de estar registado no PTGay.net

PT Gay VIP

Registo

Se ainda não é membro registe-se através deste formulário:

 
 

Membros VIP do PT Gay

Últimos Anúncios para Marcar Encontros

rss ptgay twitter pt gay facebook pt gay

Receba os novos anúncios no seu email:

As Minhas Mensagens

Não se encontra autenticado

Faixa publicitária

Últimos Comentários

  • ola tudo bem? tens email? Mais...
  • Sou da Lourinhã. Passivo. Interessado? Mais...
  • Olá. adiciona me no skype di-caldeira_ Mais...
  • Oi. Sou da Maia e tenho . Se quiseres manda mensag... Mais...
  • estou enteressado Mais...
  • eu Mais...
  • Olá bom dia adoro sexo. Mais...
  • Ola. Meu email navigatorpt. ate breve, Srnhor Mais...